Página

domingo, 27 de dezembro de 2009

TERRORISMO ELEITORAL


via Reinaldo Azevedo | VEJA.com de Reinaldo Azevedo em 27/12/09

Comentei ontem a, por assim dizer, entrevista de Sérgio Gabrielli a Estadão. Na dita-cuja, ele afirma que, se os tucanos tivessem vencido em 2002 ou 2006, ao menos parcelas da Petrobras teriam sido privatizadas. Trata-se de mentira e de terrorismo eleitoral. Mesmo assim, a acusação foi parar na primeira página do jornal e com o sentido distorcido contra os tucanos. Afirmei aqui um fato: o PSDB jamais tomou qualquer iniciativa nesse sentido. E, dadas a história e as lideranças do partido, jamais tomaria. Alguns leitores entenderam, então, que seu seria contrário à privatização da Petrossauro.
Eu? Vocês estão brincando??? Vendo até Jardim da Infância. O que escrevi é que o governo FHC jamais pensou no assunto e que tampouco José Serra, se eleito, a ele dedicaria um dedo de prosa. Isso nada tem a ver com as minhas convicções. Tem a ver apenas com os fatos. Será preciso civilizar muito a tigrada até que um debate como esse possa ser feito no país. Por muitas décadas ainda a Petrobras continuará a dizer como o Brasil deve ser portar. Não fiz juízo de valor sobre privatizações. Apenas sustentei que as palavras de Gabrielli são mentirosas. E o desafiei a apresentar elementos — já que os jornalistas do Estadão não tiverem a curiosidade de indagar onde estavam — que corroborassem a sua tese. Ele não vai apresentar porque se trata de uma impossibilidade física. Tais elementos não existem.
Gabrielli está apenas fazendo terrorismo eleitoral, tarefa a que muita gente está dedicada neste momento — e aquilo que já começa a ser chamado de "imprensa tradicional" (vivendo seus "últimos dias de paupéria") está cheio dele. Leiam esta nota na coluna de Elio Gaspari de hoje:
DIREITA, VOLVER
A marquetagem petista tem o sonho de transformar a eleição presidencial num plebiscito em torno da figura de Nosso Guia. Se o Padre Eterno lhe conceder essa graça, há outro pedido: que Ele ajude a empurrar José Serra para a direita. Alguns comissários acreditam que, aqui e ali, suas preces já foram ouvidas.

Viram só? Gaspari está vendo sinais de que Serra caminha "para a direita" — ou melhor, ele atribui tal "visão" aos petistas, mas, a exemplo de Gabrielli, também se dispensa de elencar os fatos. Pra quê. Sim, manifestação de terrorismo eleitoral! O jornalista em questão, como sabem, costuma escrever para os que habitam "o andar de cima" (como ele gosta) intelectual. Já um Gilberto Dimenstein não tem essas veleidades. Como poderia? Num troço chamado "Pensata" da Folha Online, escreve o que segue — recomenda-se cuidado aos de estômago fraco. Volto em seguida:
Se alguém quiser saber a relação entre eleições e escolaridade, basta ler o artigo publicado por Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.
Segundo seu artigo, se os eleitores fossem mais informados, a eleição presidencial já estaria empatada –com Dilma e Serra em torno de 37%.
Chega-se a essa conclusão a partir de uma informação: o número de eleitores que votariam, com certeza, num candidato indicado por Lula. Ocorre que uma percentagem deles não sabe que Dilma é candidata de Lula –isso depois de tantas imagens dos dois juntos, bombardeadas há tanto tempo.
Daí se vê como é difícil, devido à baixa escolaridade, ter debates mais profundos. Se uma parte do eleitorado nem sabe que Dilma é a candidata do Lula (outros, aliás, nem sabem que ela é candidata), imagine quantos estarão informados para entender e acompanhar os debates sobre o futuro do país.
Isso ajuda a fazer das campanhas basicamente shows, com poucos debates –e cada candidato tenta tirar maior proveito da desinformação.

Voltei
Leitores me mandaram e custei a crer que fosse verdade, confesso. Fui conferir para ver se não se tratava de uma dessas correntes da Internet. Não! Está lá mesmo. Ele realmente escolheu o fundo do poço. Para começo de conversa, imaginem se um articulista qualquer sugerisse que eleitores do PT são ignorantes… O mundo viria abaixo.

Em segundo lugar, o artigo a que ele se refere não afirma nada disso. Isso é puro Gilberto Dimenstein. Devo supor, então, que foi fruto da ignorância, não de uma escolha, a eleição de Lula em 2002 e em 2006? Dada a tal baixa escolaridade, a democracia brasileira estará, então, condenada até que o problema seja superado? O que quer este senhor? Primeiro a gente educa a população, dá escola adequada, e só depois oferece democracia? Se Dilma vier a empatar com Serra, o déficit educacional estará equacionado? Caso ela vença, ele terá sido vencido?
Dimenstein escreve mal, coitado!, coisa que todo mundo com um mínimo de intimidade com a língua já sabe. E seu texto torto é fruto de seu pensamento torto. Mas não tem os sensores tão prejudicados que não saiba o nome do que pratica: CAMPANHA ELEITORAL. Ademais, é evidente o corolário do seu raciossímio: mais informação, mais votos no PT…
Arrematando
Sempre digo tudo aos leitores, não é? Alguns vigaristas, pretendendo desqualificar a crítica que aqui se faz, acusam: "Vejam lá o que Serra MANDOU ele escrever". É mesmo? Eu, porque escrevo o que escrevo, estaria sob as ordens de Serra. E eles? Porque escrevem o que escrevem, estariam sob as ordens de quem? Vai ver eu sou mais burrinho do que outros e prefira a contramão, não é mesmo?

Quanto à petralhada, que imagina que tudo tem um preço, dizer o quê? Se eu estivesse à venda, não custa lembrar que há um lado que pagaria bem mais… Essa gente se acostumou com o ódio gratuito — e o amor muito bem remunerado — de seus subjornalistas de serviços.

0 comentários:

Postar um comentário

Favor identificar-se.