Página

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Fracassos do socialismo


via OrdemLivre.org - Artigos by ngiordani on 1/4/10

Chávez e Obama não pareciam ter muito em comum: o presidente venezuelano é vulgar e sofre de vários complexos, enquanto o americano se expressa muito bem, é amável e tem títulos universitários de Columbia e Harvard. Mas ambos deram um viés marcadamente intervencionista aos governos de seus países, e as consequências negativas já estão afetando gravemente toda a população.
Os venezuelanos não poderiam imaginar governantes piores que os copeyanos social-cristãos e os adecos social-democratas das últimas décadas do século passado, mas sob Chávez qualquer passado brilha mais.
Os americanos não podiam esperar para escapar do maníaco George W. Bush, que acreditava ser encarregado por Deus de salvar não somente a seu páis, mas ao mundo inteiro do terrorismo e das drogas. Mas Obama gastou mais em novos programas em seus primeiros nove meses do que Bill Clinton gastou ao longo de oito anos na Casa Brana, dando assim as costas aos princípios fundamentais de liberdade individual, enumerados e defendidos pelos pais fundadores da pátria. Hoje não apenas Bolívar e Sucre devem estar se revirando em seus túmulos com o que acontece em sua amada Venezuela, mas também algo parecido deve estar acontecendo com Franklin, Washington, Adams, Jefferson, Madison e Hamilton com o desemprego, a desconfiança dos intervencionistas, a crescente dificuldade para obtenção de financiamento, a dramática queda de valor das habitações, a perda de poder aquisitivo do dólar e a crescente insegurança pessoal.
Os governos dos países livres não foram concebidos para redistribuir renda, dar serviços médicos, fazer lavagem cerebral em jovens e nem usar a poupança dos cidadãos com fins claramente políticos, dentro ou fora da nação. A verdadeira função do governo é proteger os direitos individuais e a propriedade de cada um, de maneira que o mais forte não se aproveite da debilidade de outros. A igualdade ante a lei é o que nos torna livres, enquanto a crescente intervenção governamental de nos escraviza sob a ilusão de que assim se estão protegendo os pobres.
A economia venezuelana se contraiu 4,5% no terceiro trimestre de 2009, em comparação com o mesmo período do ano passado, e a produção petroleira caiu mais que o dobro (em 9,5%), enquanto a inflação, que deve alcançar 26%, é a mais alta da América Latina. Mas diante de resultados tão infames, o remédio do governo Chávez é mudar a maneira de calcular tais estatísticas, para supostamente "adequá-las" à economia socialista. E para o ano 2010, reduzirá o orçamento de educação e saúde, enquanto aumentará os gastos militares e em 600% o orçamento do presidente.
O total abandono dos trabalhos de manutenção após a total estatização da energia elétrica e dos aquedutos provoca frequentes apagões em Caracas e intruções presidenciais para que os venezuelanos tomem banho com menos frequência, usando cuias e tigelas em vez de chuveiros.
Segundo o Índice da Liberdade Econômica de 2009, os Estados Unidos ocupam o posto número 6 do mundo, atrás de Hong Kong, Cingapura, Austrália, Irlanda e Nova Zelândia, enquanto a Venezuela caiu para a 174ª posição, junto com Congo, Cuba, Coreia do Norte e Zimbábue.


Publicado originalmente em ElCato.org.

0 comentários:

Postar um comentário

Favor identificar-se.