Página

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

FÓRUM SOCIAL MUNDIAL VAI HOMENAGEAR BATTISTI E TARSO NA MESMA MESA EM QUE V...

 

via VEJA.com: Blog | Reinaldo Azevedo de Reinaldo Azevedo em 23/01/09
Esta que vai a seguir é do balacobaco e está na página eletrônica da revista Panorama, da Itália. Traduzo um trecho:
*
É oficial: o ex-terrorista-escritor Cesare Battisti e o ministro da Justiça brasileiro que lhe concedeu status de refugiado foram incluídos na ultima hora na agenda do Fórum Social Mundial, que acontece no fim do mês, depois de três anos, no Brasil: será em Belém, onde está prevista a presença de Lula.
Uma vez que a programação do Fórum Social Mundial já estava concluída quando estourou a polêmica, a solução dada pelos organizadores foi incluir o "caso Battisti" na mesa redonda "Direito à Memória e à Verdade", que reivindicará a abertura dos arquivos da ditadura brasileira, a revisão da Lei da Anistia e a punição dos militares golpistas.
O encontro em que os participantes se solidarizarão com Battisti e com o ministro que lhe concedeu o status político vai durar três horas e ocupará toda a manhã de sexta-feira, dia 30, do Fórum Social Mundial, em Belém. O apoio ao ex-terrorista-escritor e à decisão do ministro da Justiça brasileira foi decidido depois de um longo debate interno do Movimento Brasileiro dos Direitos Humanos. A informação é dada pelo coordenador do movimento, Gilson Cardoso, que disse ter recebido numerosos apelos, também da Itália, para inserir a polêmica do refúgio de Battisti no Fórum de Belém.

Entenderam?
O Fórum Social Mundial quer fazer uma mesa redonda para, na prática, cassar a anistia dos brasileiros — sim, só daqueles "de direita". Mas vai se solidarizar com o terrorista Battisti. A esquerda reivindica o direito "à memória e à verdade" e a "punição de torturadores", mas vai tratar Battisti, um terrorista homicida, como herói. Para aqueles considerados "direitistas", revanche. Para o colega de ideologia, o refúgio.

E que se note: aqueles que os esquerdistas querem punir no Brasil foram beneficiados por uma Lei de Anistia. Battisti não foi anistiado em seu país —até porque foi considerado um criminoso comum.

Claro, claro... Como quer Marcelo Coelho, eu seria o extremo de um ponto de vista, de um modo de ver as coisas. Mas não é preciso ser assim um Reinaldo Azevedo para perceber que, se é para punir direitistas, a lei brasileira não vale. Se é para proteger um terrorista esquerdista, aí o que não vale é a lei italiana.

Eu poderia parar aqui. Mas vai só mais uma palavrinha: VIGARISTAS!!!

0 comentários:

Postar um comentário

Favor identificar-se.